Algum dia, em determinado momento profissional da sua vida, você sonhou trabalhar em uma empresa em que não existissem chefes?  Se sim, saiba que essa já é uma realidade em várias organizações. Hoje, algumas empresas trabalham no chamado modelo de gestão horizontal, que é caracterizado, justamente, por não possuir hierarquia.

Na gestão horizontal, não há relação de poder, chefes ou pessoas com ascensão sobre outras. Para que o trabalho seja desenvolvido, as decisões são tomadas coletivamente.

A tendência é que esse estilo de gestão seja implementado cada vez mais, já que há um encontro entre esse modelo e as características valorizadas pela geração que está ingressando no mercado de trabalho: inovação, desenvolvimento a partir da troca e de equipes colaborativas, autonomia, meritocracia, flexibilidade de horários etc. Esse encontro facilita na atração e retenção de talentos, um dos grandes desafios das organizações hoje (e no futuro).

O dia a dia dessas empresas funciona por meio de grupos de trabalho, projetos e desafios. Isso significa que, por muitas vezes, o colaborador pode tocar projetos como se fosse, de fato, dono do seu próprio negócio.

Embora em um primeiro momento possa parecer um sonho trabalhar em um lugar assim, será que o seu perfil profissional se adequa a esse modelo de gestão?

A primeira pergunta que você deve se fazer é: eu desejo me destacar dos demais e gostaria de conquistar posições de liderança? Se a sua resposta foi sim, então, saiba que trabalhar em uma empresa com gestão horizontal poderia deixá-lo, no médio prazo, desmotivado.

Além de não almejar cargos e promoções, trabalhar em uma empresa de gestão horizontal exige do profissional a absoluta administração de seu tempo, afinal, não haverá um gestor cobrando “tarefas”. Mas, em algum momento, você poderá ser solicitado a entregar atividades e resultados por diversos times, ao mesmo tempo. E essa característica já demanda mais uma habilidade: saber trabalhar em equipe. Nesse modelo de gestão ser colaborativo é imprescindível.

Trabalhar em uma empresa que não possui um chefe também vai exigir de você proatividade, criatividade – para transformar um problema em oportunidade – e pensamento estratégico, afinal, são as suas ações e a dos demais que irão impactar no futuro da empresa.

Avaliar todas essas características e conhecer muito bem a si mesmo (quem você é, o que te mobiliza e o que te desmotiva) é muito importante para decidir se uma oportunidade em uma organização como essa é para você. Essa análise fará toda a diferença em seu caminho profissional. Pense nisso!

 

Por Sofia Esteves, fundadora e presidente do conselho do Grupo DMRH/ Publicado por Exame.com

 
Comente o Post

orb.digital