Jim McKelvey, fundador da Square, diz o que aprendeu na prática ao abrir cinco empresas.

Mais conhecido pela Square, startup de meios de pagamento móveis que ele fundou junto com Jack Dorsey, do Twitter. A empresa é hoje avaliada em mais de US$ 5 bilhões. Mas essa não foi sua única iniciativa empreendedora. Ele também começou outras cinco empresas, tendo sucesso em quatro delas. Além de tudo disso, McKelvey é um apaixonado pela arte de fazer vidro soprado - algo que não é lá muito simples.
Jim McKelvey (Foto: @_openspace)

Ao longo de sua trajetória, ele conseguiu entender que, muitas das regras de ouro do empreendedorismo, não funcionam na prática exatamente do mesmo modo como são anunciadas. Em uma palestra durante o HSM Expomanagement nesta segunda-feira (9/11), em São Paulo, ele questionou essas regras e mostrou como as interpreta. Confira:

 

Empreendedores não procuram oportunidades, resolvem problemas
Foi um problema que deu origem a Square. McKelvey queria vender um de seus trabalhos em vidro para uma senhora e ela só tinha um cartão American Express, que ele não conseguia passar. Ao mesmo tempo, McKelvey diz que sempre pensou em resolver o problema de seu amigo Bob, que ele acreditava ser um ótimo artista, mas morou por muito tempo no banco de trás de seu carro por não ter acesso a crédito.

Empresas bem sucedidas não colocam produtos incríveis no mercado, mas melhoram rápido
Para McKelvey, mais importante do que lançar o produto perfeito é fazê-lo evoluir rapidamente, com os ajustes necessários. “Deixe o mundo reagir ao produto”, diz.

Mais do que inventar, use a tecnologia disponível
O empreendedor diz que considera a invenção como última saída. É preciso assumir que a solução já está lá. Ele usa como exemplo o dia em que presenteou seu pai, de 90 anos, com um iPad. Ele explicou que o aparelho era capaz de fazer qualquer coisa com o aplicativo certo. “Se encontrar qualquer coisa que ele não faça, me diga que criarei outra empresa de um bilhão de dólares”, disse ao pai.

Trabalhar rápido é importante, mas saber o timing certo é mais ainda
A noção de que o mais rápido é sempre melhor não serve sempre no mundo da tecnologia. O Orkut fez sucesso por um tempo, mas foi o Facebook, pegando carona especialmente nos dispositivos móveis, que se tornou a rede social de maior alcance. “Não tem a ver com ser o mais rápido, tem a ver com ter o timing.”

Conheça grandes líderes, mas questione-os
McKelvey não esconde que é fã de Jack Welch. Mas ele afirma que o “maior gestor do século” não tem a solução para os problemas de todas as empresas. Tudo que um guru ou alguém bem sucedido aprende, é aprendido no contexto de uma época específica, de uma determinada empresa. E  às vezes, nem os melhores possuem as respostas. Além disso, o empreendedor também ressalta que na trajetória dos empreendedores a sorte tem seu devido papel. 

A perseverança é maior que a ousadia
Quando você abre uma empresa, muitas vezes é movido pelo sentimento de medo do desconhecido. Você vai em frente porque acredita que aquilo precisa ser feito. E conforme você segue em frente, vai vendo um novo caminho se descortinando e sabe que, se parar, nunca vai conseguir enxergar além.

Por Marcela Bourroul | Publicado originalmente: Época Negócios

 

 
Comente o Post

orb.digital