O dia foi marcado por um fluxo grande de pessoas interessadas em trocar conhecimentos, conhecer novas tendências e criar conexões favoráveis. Palestras com lideres nacional e internacional, empresas referência por todos os lados e temas relevantes para sua carreira eram apenas alguns dos pontos que fazia valer a hashtag escolhida para o evento "conhecimento em ebulição".

Ao final ficou claro que inovação é apenas consequência do processo que estamos vivendo e que a questão é estarmos preparado para as próximas mudanças que devem ocorrer. Compartilhamos com vocês um breve resumo do que aconteceu no "Day 1" da HSM Expo 2017.

Adam Grant - “Originais: Como inconformados movem o mundo”

A criação de um ambiente receptivo às novas ideias é possível e tem a capacidade de transformar a forma como as corporações fazem negócio. Mas, como identificar ideias com futuro? Essa provocação esteve presente durante toda a palestra “Originais: Como inconformados movem o mundo”, que abriu a HSM Expo 2017 no dia 6 de novembro. 

“Muitas companhias buscam colaboradores que se encaixem à sua cultura, mas, para desenvolver o pensamento original e fomentar novas ideias, o melhor caminho é buscar olhares diversos, identificando lacunas e buscando pessoas que contribuam e acrescentem culturalmente”

Para Grant, existem dois tipos de profissionais no mercado, os doadores e os tomadores. “Doadores são os que buscam formas de contribuir com a empresa e seus projetos. Já os tomadores são aqueles que pensam apenas nos próprios interesses e visibilidade, que não dão espaço para os demais. É preciso aprender a identificar e evitar esse segundo perfil”.

Ao trazer a problemática para o contexto brasileiro, o professor explica que aqui existe um cenário rico para novas ideias, mas que o grande desafio é desdobrá-las em ações que realmente transformem as corporações. “As pessoas que têm ideias originais geralmente têm acesso aos principais problemas que precisam ser resolvidos”, disse. Sendo assim, é fundamental criar um espaço seguro para que os indivíduos possam ser ouvidos.

Kevin Kelly - “O inevitável: as 12 forças tecnológicas que definirão nosso futuro”

As principais tendências para os próximos 25 anos foram tema da apresentação “O inevitável: as 12 forças tecnológicas que definirão nosso futuro”, de Kevin Kelly, autor do best-seller “The Inevitable” e cofundador da revista Wired. Ele abordou as oportunidades e transformações irremediáveis promovidas pelo avanço da tecnologia. “Estamos no começo de tudo, o momento ideal para dominar as ferramentas disponíveis”, sugeriu.

Na visão de Kelly, que é referência em tecnologia contemporânea, o principal ponto é que tudo será mais inteligente nos próximos anos. “A inteligência artificial proporciona um novo tipo de conhecimento, diferente do humano, e trabalhará em conjunto com o homem - não contra ele”, disse.

Outro ponto importante é a interação, que será transformada pela internet das experiências. “A realidade virtual deve se tornar a rede mais social de todas, estaremos sempre em contato com outras pessoas”, explicou Kelly. Para ele, a oportunidade é pensar em novas formas de proporcionar interação entre as pessoas e as marcas ou produtos, por meio da tecnologia.

As terceira e quarta tendências são, respectivamente, o acesso e o compartilhamento. “Ter acesso imediato a um produto se torna mais vantajoso do que, necessariamente, ter o produto. Um exemplo disso é o Netflix, onde é possível assistir um filme sem compra-lo”, contextualizou.

Sobre o compartilhamento, Kelly explicou que as informações sobre os clientes se tornam tão importantes quanto os próprios clientes. “A transparência é a chave da personalização e os dados são o novo petróleo”.

O executivo encerrou dizendo que não explicou a coisa mais importante, “pois ela ainda não foi criada”, disse. Assim, fica a mensagem de que o futuro é agora e as possibilidades se abrem para quem quer inovar.

Joana Barsh - "Centered Leadership: liderança com propósito, clareza e impacto."

Iniciando a apresentação Centered Leadership: liderança com propósito, clareza e impacto, Joana Barsh, Sócia e editora da McKinsey & Company, convidou os participantes a refletir sobre os principais desafios de seu dia a dia. Durante a atividade, a liderança presente foi direcionada a identificar seus pontos fortes e fracos, ouvir umas às outras e trocar experiências.

A vivência foi uma introdução para a palestra, que discutiu liderança centrada, ideal para momentos incertos e turbulentos, e as capacidades que um bom líder deve ter. “O trabalho de um líder é ouvir, não apenas para que as pessoas façam o que é certo para a empresa, mas para construir a confiança. Bons líderes movem as pessoas ao se colocar no lugar delas”, afirmou Barsh.

Joanna, que é autora dos best-sellers “Centered Leadership” e “How Remarkable Women Lead”, explicou os critérios básicos para a liderança centrada: autoconsciência, tomada de decisões conscientes e a prática constante da atividade realizada. “A autoconsciência permite a realização de escolhas, por isso é tão importante se ver, se enxergar no todo”, explicou Barsh.

Outros pontos importantes são a aceitação e o engajamento. “Quando as pessoas se aceitam como são e entendem que seres humanos são passíveis de erros, conseguem compreender e respeitar mais os outros”, disse. Ao encerrar as apresentações da manhã, a autora reforçou a importância de engajar e criar um ambiente propício para que todos tenham a mesma consciência.

Stelleo Tolda - “Como o Mercado Livre se tornou a maior plataforma de compra e venda online da América Latina”

"É por meio do conhecimento que iremos vencer desafios como gestores e como humanidade”. Essa foi a afirmação feita por Stelleo Tolda, CEO e cofundador do Mercado Livre, ao iniciar a palestra “Como o Mercado Livre se tornou a maior plataforma de compra e venda online da América Latina” na HSM Expo 2017, que acontece entre os dias 6 e 8 de novembro de 2017.

Por meio do case de sucesso do Mercado Livre, hoje reconhecido e premiado internacionalmente, Tolda explicou que a vida de um empreendedor é um constante enfrentamento de riscos, sobretudo no ambiente online. “A internet conecta pessoas e colabora para a democratização do comércio. Os empreendedores dispostos a empreender encontram nela uma oportunidade de estar no mesmo universo que as grandes marcas”, disse o executivo.

Na visão do CEO, apesar de entraves como a falta de acesso à internet e à logística, o comércio eletrônico ainda oferece muitas possibilidades e mercados. “O e-commerce tem uma penetração de apenas 3% no Brasil, realidade muito parecida com a de outros países. Há muito espaço para investimento e expansão”, explicou.

Para Tolda, o sucesso no ambiente digital está ligado aos valores criados para o consumidor. “Não adianta focar apenas no ganho financeiro. É preciso pensar em proporcionar experiências únicas para o usuário”, sugeriu. Essa é a visão que trouxe o sucesso do Mercado Livre. “O trabalho em equipe e o objetivo comum também nos colocaram onde estamos”, completou.

Quando questionado sobre os planos futuros, Tolda foi taxativo em sinalizar que o futuro é de crescimento. “Tudo o que é vendido no mundo físico tem potencial para ser vendido também no virtual”.

Pedro Parente - “A nova gestão da Petrobras”

Pedro Parente, presidente da Petrobras, iniciou a palestra “A nova gestão da Petrobras”, na qual apresentou as mudanças pelas quais a gigante brasileira tem passado, com a afirmação de que independentemente do porte da companhia, um bom gestor precisa ter sempre em mente a atual posição da empresa e onde ela pode e quer chegar.

“Encontramos a Petrobrás imersa em dívidas e polêmicas que causaram danos não apenas à sua reputação, mas também ao orgulho de fazer parte de uma companhia como essa”, explicou. As mudanças realizadas durante a sua gestão compreendem maior preocupação com a segurança do trabalho e diminuição da alavancagem.

Outro ponto levado em conta nesse processo de transformação é a sociedade atual. “Há demanda por iniciativas de baixo carbono e outras alternativas, como o carro elétrico, e a empresa não pode ficar fora disso, temos que evoluir juntos e gerar valor”, sinalizou.

Sendo assim, a Petrobras reajustou missão e valores e, apesar de continuar sendo uma empresa integrada em energia, passou a focar o segmento de óleo e gás. “Vamos continuar trabalhando para melhorar a imagem dessa empresa, para que ela volte a ser motivo de orgulho para os brasileiros”.

Na sequência, o executivo foi sabatinado por Guilherme Soárez, CEO da HSM Educação Executiva. Durante a conversa, ele falou sobre sua trajetória na esfera pública e as polêmicas envolvendo a Petrobrás. “Nosso trabalho é mostrar que não se pode confundir os colaboradores e a história da companhia com corrupção feita por maus profissionais”, reforçou Parente.

Quando questionado sobre os planos para o futuro, o presidente da Petrobrás destacou o foco em óleo e gás, deixando claro que ainda não se sabe qual será o futuro desse segmento. “Conhecemos os desafios que as companhias desse setor enfrentam e estamos trabalhando para acompanhar o que há de mais novo, como as energias renováveis”, pontuou.

Dr. Robert Janett - Momento Sírio Libanês

Em um momento dedicado à parceria com o Hospital Sírio Libanês, o Dr. Robert Janett, médico americano e professor da Harvard Medical School, falou sobre os benefícios da atenção primária com a saúde, criando comparações entre os sistemas de saúde brasileiro e americano, discutindo gestão, confiabilidade e custos.

Com a compreensão de que os sistemas não funcionam bem, nem para pacientes e nem para médicos, Dr. Janett reforçou a importância de encontrar novos formatos e apresentou um case positivo. “Em Cambridge, estamos implementando o modelo de atenção básica. Tratamos doenças crônicas no começo, antes que evoluam”, explicou. Os resultados identificados contemplam melhor atendimento para pacientes e menos custos para o governo.

Esse sistema leva em consideração os resultados médicos, o custo e a qualidade do atendimento. “Quando o tratamento é inadequado, temos uma chuva de procedimentos e custos desnecessários”, complementou. Ele acredita que esse modelo pode ser aplicado ao SUS, “desde que sejam feitas as adaptações necessárias”, finalizou.

JB Straubel - “Por dentro da máquina de inovação Tesla Motors”

Encerrando as apresentações do dia, JB Straubel, um dos fundadores e CTO da Tesla Motors, participou do  painel “Por dentro da máquina de inovação Tesla Motors”.  Para o executivo, a inovação nasce nas startups porque elas podem arriscar e precisam encontrar novos meios de concorrer com as grandes  corporações. “É difícil para uma empresa já estruturada correr o risco de prejudicar um produto campeão”, ponderou Straubel.

Na concepção do executivo, a tendência é que grandes empresas se aproximem dos centros de inovação para acompanhar o que há de mais novo. “Gigantes do setor automobilístico, por exemplo, migraram para o Vale do Silício. Essa região tem um histórico de atração para pessoas inovadoras”, contextualizou.

Quando questionado sobre a sinergia entre o foco nos resultados trimestrais e a inovação, o executivo explica não ter uma chave definitiva para o sucesso, mas reforça: “é preciso ter foco no longo prazo, sem abrir mão de entregar bons produtos para o consumidor”.

O executivo reforçou que a missão da Tesla Motors é revolucionar os setores energético e automobilístico. “O desafio é disponibilizar o veículo elétrico em larga escala, com boa autonomia e com infraestrutura para redução de custos”, finalizou Straubel

 
Comente o Post

orb.digital