Quer deixar um subordinado feliz e mantê-lo no cargo? Simples: expresse confiança nele. É o que revela estudo da consultoria Pay­Scale, que ouviu quase 55 mil pessoas. E satisfação é uma das principais motivações para o bom desempenho e a lealdade: 72% dos entrevistados que se consideram confiantes em cumprir suas funções e tomar decisões por si só estão satisfeitos com o trabalho e não pensam em mudar de empresa.

Dois temas orientam esta coluna: 1. Você é um moita? Quantos moitas existem em sua equipe? A confiança existente em uma empresa é inversamente proporcional a esse número. 2. Questão de conduta: além de não roubar, você tem agido de forma correta no dia a dia? Esse tema se relaciona com o primeiro.

As organizações estão incorporando, crescentemente, conceitos e processos de aprendizagem em suas práticas gerenciais e operacionais. 

O trabalho do consultor se dá a partir de, pelo menos, quatro dimensões que têm relação direta com a aprendizagem: relação de ajuda, mudança, intervenções e implementação com autonomia decisória do cliente.

Quando era gerente da empresa de consultoria EY (Ernst & Young), Susan Hawkins – que hoje dá aulas para qualificações profissionais internacionais em finanças, contabilidade e valuation na SH Professional Training, empresa da qual é fundadora – coordenava equipes formadas por consultores seniores, consultores e trainees.

Um bom trabalho de consultoria empresarial pode ser fundamental para te ajudar a otimizar processos e focar esforços no core business. Confira dicas para não errar nessa escolha.

orb.digital